Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Cartas que não se escrevem

por Catarina, em 07.09.17

Sou uma pessoa muito emocional, sensível, e como costumo dizer não é difícil chorar por tudo e por nada. Principalmente, por tudo.

 

Por vezes acho mais fácil escrever, em vez de falar nos olhos dos outros; Os olhos dos outros têm efeitos secundários nas minhas mensagens, posso começar a conversa com um objectivo, perder a coragem, e acabar noutro ponto, muito distante do que tinha em mente.

 

Falo de muita coisa de forma abstracta; Principalmente das coisas mais importantes. Acho que se não disser realmente os nomes, as coisas não existem, não se materializam na minha frente, o problema não pede resolução.

Fujo de chamar "os bois pelos nomes" porque não sei como resolver; Por vezes nem sei bem qual é o problema e isso deixa tudo muito pior.

 

Falar não consigo falar; A voz embarga-se, os olhos enchem-se de lágrimas silenciosas, e tudo o que quero é um abraço e a possibilidade de esconder a cara.

Fechar os olhos, dormir, fingir que não aconteceu. Se não pensar não existe, e se não existe não tenho de resolver.

 

Tudo o que não sei me consome, mais do que aquilo que sei. Não sei o caminho, não sei o destino;

Vou andando para a frente com a sensação que não é na realidade a "frente" e sim um ziguezague em fuga da decisão que acho que tenho de tomar. Mas que no fundo não sei se tenho de tomar, não sei se quero, não sei se devo, não sei se posso, não sei como.

 

Ontem adormeci a pensar em pôr por escrito os meus pensamentos, aquilo que acho que quero ou que devo dizer. Adormeci a escrever uma carta que não escrevi.

Autoria e outros dados (tags, etc)


9 comentários

Imagem de perfil

De Chic'Ana a 07.09.2017 às 10:39

O teu texto está muito bonito, muito intenso.. Sei bem o que são essas emoções, o ser mais fácil "falar" por escrito do que olhar a olhar.. Contudo o importante é que digas e afirmes aquilo que sentes, não guardes para ti!
Beijinho grande
Imagem de perfil

De Catarina a 08.09.2017 às 09:11

Obrigada!
Sei que devia dizer as coisas às claras...mas é tão mais difícil. Nunca tenho a certeza se diga ou não..e na dúvida nunca arrisco.. Jogo pelo seguro
beijinho grande
Imagem de perfil

De David Marinho a 08.09.2017 às 01:25

Muito bem escrito e percebo esse sentimento. Eu odeio chorar com público mesmo que seja uma pessoa. Para mim é das coisas mais privadas que tenho.
Imagem de perfil

De Catarina a 08.09.2017 às 09:14

Obrigada.
Oh eu sou uma lágrima fácil.... até posso odiar mas se não conseguir evitar é ver-me soluçar em qualquer lado...
Imagem de perfil

De David Marinho a 08.09.2017 às 23:44

Eu se não quisesse fazer-me de forte talvez fosse assim também...
Imagem de perfil

De Happy a 08.09.2017 às 07:07

A tal carta que não escreveste. No fundo escreveste porque se nota neste texto que organizaste um pouco as ideias.
O problema da tomada de decisão é que muitas vezes se vai adiando até uma altura em que não se pode adiar mais... Mas a ideia amadurece, ainda que não te apercebas disso. Sabes que o pensamento, mesmo se inconsciente não pára?
Imagem de perfil

De Catarina a 08.09.2017 às 09:16

Escrevi quase em sonhos!
Acredito no que dizes, da ideia amadurecer; Se calhar já amadureceu e eu tenho medo de a enfrentar. Se fingir que não sei, ou que não tenho a certeza...é sempre mais fácil fugir; se não "existir" problema não preciso de lhe dar solução.
Sei que o pensamento não pára... sou uma pensadora nata... mesmo quando podia não pensar em nada tenho um cérebro hiper activo..e nem sempre muito positivo!
Sem imagem de perfil

De O Cantinho da Fia a 08.09.2017 às 12:40

Catarina que texto tão profundo! Quando comecei a ler revi-me nessas palavras. Sou extremamente sensível e os olhos dos outros também têm efeitos secundários em mim. Com lágrima ou sem lágrima, de forma mais ou menos intensa, o importante é sempre dizer.
Beijinhos
Imagem de perfil

De Catarina a 08.09.2017 às 15:55

Obrigada!!
um beijinho

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D