Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Nós por aí #3 - Milão

por Catarina, em 03.06.17

Dia #2

 
Quando se viaja com um maluquinho por carros para Itália sabe-se à partida que há coisas inevitáveis, em Milão era o Museo Storico Alfa Romeo. Na verdade fui eu que propus  a visita e ele como é óbvio gostou da ideia; Queria que ele tivesse uma experiência tipo “Disneyland” como eu já tive tantas vezes quando me encontro no meio de algo que adoro e que nunca tinha visto ao vivo.
 
Saímos cedo e fomos directos ao metro para alcançar a estação mais perto possível. Como já ficava nos arredores a estação em si era enorme, e depois de termos percorrido quase um km para sair de lá ao chegar ao autocarro que teríamos de apanhar descobrimos que os bilhetes não se vendiam a bordo, mas sim na estação; Apanhámos um táxi! Foi provavelmente a nossa maior extravagância apanhar o táxi para ir e voltar à estação mas preferimos pensar que era um investimento no nosso (pouco) tempo disponível! 
Não sendo o meu maior interesse, tenho a dizer que gostei bastante; Em primeiro lugar percebi que os italianos são excelentes a montar exposições! Como designer consigo apreciar um trabalho bem feito, e é raro ver uma exposição tão bem desenhada, e eu vejo mesmo muitas! Ainda me apercebi mais disto por não ser um tema que me entusiasmasse particularmente. Ainda assim achei muita piada em ver os modelos históricos, principalmente os da década de 50 e 60! Os de corrida não me dizem muito, mas os protótipos mais estranhos são muito engraçados, e as salas com vídeos dos carros em filmes também são giros. Há ainda um filme em 4D em que nos sentamos num simulador e “fazemos uma corrida” com direito a levar borrifos de água ao passar nas poças de água! No fim o M. trouxe uns souvenir da loja e rumámos à estação a caminho do Duomo.
 
Quando chegamos ao centro saímos do metro na lateral da catedral e somos bafejados por uma onda de calor, de movimento e de barulho! Se há coisa que não ia preparada para apanhar eram 30º de temperatura e fazer turismo naquela brasa não é nada fácil. Almoçamos numa esplanada à sombra mas ainda assim abafada, e depois demos uma volta pelas ruas e pela Galeria Vittorio Emanuele. Claro que compras nem pensar porque só lá existem as marcas mais caras, mas o edifício é lindíssimo, espectacular, do chão, aos tectos, às montras, sei lá! Claro que estava cheio de gente e torna-se difícil sequer tirar fotografias com tanto atropelo de selfie stick. Ainda entrámos na loja da Ferrari, mais para o M. fingir que estava na Disney do que outra coisa! Seguimos para ir ao Duomo e descobrimos uma fila de gente à torreira do sol para comprar os bilhetes; ponderámos e desistimos, mas estava demasiado calor para caminhar até ao Navigli que era o plano seguinte. Resolvemos ir descobrir o Museo del Duomo, na esperança de conhecer a catedral mesmo sem lá entrar. Tivemos a agradável surpresa de encontrar uma fila muito pequena e descobrir que podíamos comprar os bilhetes para o Duomo e o Museu! Aproveitámos bem uma hora no museu com ar condicionado e uma exposição muito boa, antes de encarar a fila para o Duomo. Se há coisa que se nota em Milão por estes dias é um reforço de segurança com militares armados até aos dentes ou a circularem de jipe nos principais pontos da cidade. No caso do Duomo são eles que fazem o controlo de acessos com direito a detector de metais e revista de malas. O interior da catedral é de facto imponente, os vitrais lindos, mas sinceramente acho muito difícil alguma bater a impressão que tive com a Catedral do Mar em Barcelona.
 
Quando deixamos o Duomo fomos a pé até à Porta Ticinese e até ao bairro dos canais: Navigli. Aqui mais uma vez o calor esteve contra nós; Apesar de já serem cinco da tarde o sol era abrasador e os nossos pés coziam nos ténis! Os canais são lindos e têm uma energia imensa em volta, mas estávamos tão estafados que não aproveitámos como devíamos. Voltamos ao hotel para descansar antes de ir jantar num restaurante muito giro, mais típico, com toalhas aos quadradinhos. Comemos bem, mas o mais engraçado foi a companhia inesperada que tivemos. O restaurante era super acanhado e estava cheio o que fazia as mesas individuais ficarem umas em cima das outras; Vai na volta e o casal do lago pergunta, em inglês, de onde somos; Acabámos por passar grande parte do tempo à conversa com o Gary e a Sarah que eram de Dallas, Texas e em Setembro vêm a Lisboa pela primeira vez. Trocámos impressões, dicas e conselhos sobre Portugal e Estados Unidos e desenferrujámos o Inglês!
 
Fechámos a noite com um passeio pelas ruas envolventes e ainda estava um calor daqueles!
 
 
Museo Storico Alfa Romeo, Arese

DSCN4206.JPG

 

DSCN4217.JPG

 

DSCN4230.JPG

 

DSCN4246.JPG

DSCN4278.JPG

 

Galeria Vittorio Emanuele 

DSCN4319.JPG

DSCN4321.JPG

DSCN4325.JPG

 

Duomo e Museo del Duomo

 

DSCN4333.JPG

 

DSCN4348.JPG

DSCN4364.JPG

Christ disputing with the doctors in the temple, Tintoretto 

 

DSCN4384.JPG

DSCN4396.JPG

DSCN4408.JPG

 

Navigli

DSCN4415.JPG

DSCN4422.JPG

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D