Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Obrigada J.K. Rowling

por Catarina, em 26.06.17

Faz hoje vinte anos que o primeiro livro da saga Harry Potter chegou ao público; Esse não foi o dia que mudou o fim da minha infância, mas foi quase! “A Pedra Filosofal” foi comprado lá para casa pela minha mãe, e por ela começou a ser lido enquanto eu evitava render-me… O título fazia-me pensar em filosofia, e por mais que não soubesse sequer o que isso era não me atraía; Ainda vivia agarrada aos livros dos Cinco e das Gémeas e achava que nada me ia fazer vibrar tanto. A minha mãe começou a ler e ia-me contando uma coisa aqui, outra ali, uma cena acolá; Por vezes ria-se sozinha e  dizia “Tens que ler isto!”. Quando me narrou a cena em que o Hagrid vai buscar o Harry aos tios e deixa o Dudley com um nariz e um rabo de porco eu percebi que tinha mesmo de ler aquilo tudo.

 
E assim foi, depois de um princípio pouco entusiasmado, que começou a minha relação eterna com a história do rapazinho de 11 anos, que afinal era feiticeiro e tinha um mundo novo na mão, em vez de viver no quartinho das escadas e ser vítima de bullying. A autora não só criou personagens incríveis mas apresentou-nos um mundo de magia como nunca tinha imaginado, contado ao mais ínfimo pormenor; Para tudo J.K. Rowling nos dava uma explicação, mais cedo ou mais tarde, e teve a capacidade incrível de construir uma mesma história em 7 livros sem esquecer nenhum detalhe ao longo dos anos, aguçando sempre a curiosidade do leitor, introduzindo novos temas e personagens quando necessário mas sempre tudo construído em grande dimensão; Não há nada “pequenino” em Harry Potter, nem personagens, nem cenários, nem histórias ou enredo; É tudo simplesmente avassalador! 
Durante muitos anos li a saga completa em loop, apenas intervalando de vez em quando. Ainda hoje se quiser ler um pouco que seja vou começar pelo menos a partir do terceiro livro (o meu preferido, cuja lombada já acusa bastante desgaste, e que guarda certamente areia de muitas praias!), e imagino-me a continuar assim por muitos e longos anos!
 
Ler é fantástico, mas ler algo assim, que nos puxa para outra realidade é brutal! Não há como explicar, só quem tem esta experiência de leitura sabe a que me refiro. A minha infância e juventude não teriam sido iguais sem Harry Potter, cresci com eles, partilhei as suas aventuras, medos, paixões; Estava com eles às compras no Inverno em Hogsmead, bebia cerveja de manteiga quando na realidade comia mentos em Tróia, estava nas mesmas aulas maçudas de História da Magia; Com eles, tinha uma outra “vida” clandestina, que era apenas possível quando abria um livro.
Esta sensação inexplicável é algo que se deseja a toda a gente, e que gostaria muito que um dia um filho meu vivesse, porque crescer assim é infinitamente melhor! Por isso guardo os meus livros com carinho, sei que nunca os vou perder de vista, e espero poder emprestá-los aos meus filhos...mas com carimbo de volta, porque nunca se sabe quando me apetecer ler a história, só mais uma vez!
 

Imagem daqui, via Pinterest

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D