Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Despertar

por Catarina, em 20.06.20

A jornada "verde" que hoje percorro começou na realidade há alguns anos: quando o mundo acordou para a crise do plástico, eu acordei também.

Estava, como a grande maioria, habituada a ir às compras e trazer uma série de sacos, que acabavam amontoados na cozinha, e que depois serviam de saco do lixo conforme as necessidades. Imaginava eu, mas sem me dar a muito trabalho de pensar nisso, que depois o lixo era "tratado" de alguma forma, e que esse plástico eventualmente desaparecia da terra. Muitas vezes o problema é que o desaparecer não implica apenas sair da nossa vista, mas quando deixamos de o ver acreditamos que não existe. 

Não fui muito rápida a aprender a levar os sacos para as compras, confesso. Sou despistada, invariavelmente acabava a trazer sempre sacos, mesmo tendo de os pagar, não ia lá nem à pedrada. Como tudo na vida, foi um hábito adquirido. Hoje não me passa pela cabeça ir às compras sem sacos.

Depois dos sacos das compras, e à medida que o plástico "não desaparecido" do mundo começava a saltar à vista, como a ilha do pacífico, fui-me apercebendo do restante plástico que havia na minha vida.

Cotonetes, palhinhas, caixas de comida, canetas, embalagens de cosmética e outros produtos de higiene, batons, garrafas de água, copos descartáveis, escovas de dentes, película aderente, luvas, capa do telemóvel, embalagens de produtos de limpeza, sacos de fruta ou pão, ... quanto mais procurava, mais encontrava.

Ainda munida de uma certa ingenuidade, achava que como reciclava grande parte não era tão mau. Até que li mais sobre o assunto, e descobri algures que nem todo o plástico era reciclável, mesmo depositado no contentor certo podia não ter hipóteses de um destino desejado. 

Desde essa altura abri guerra ao plástico. Não vou dizer que não uso completamente, mas reduzi bastante e é um esforço contínuo, sempre a ter novas ideias ou a descobrir outras formas de reduzir ou reutilizar. No fundo é um bocadinho abrir os olhos e encontrar!

 

Numa das minhas pesquisas descobri no site The Ocean Cleanup esta visualização espetacular sobre as fontes de plástico no mundo através dos rios...e sim, estamos lá presentes.

Plastic Sources

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D





subscrever feeds